Trauma ocular: o que fazer?

Publicado em 21/08/2017

Ajudar uma pessoa vítima de trauma ocular pode parecer uma tarefa difícil, mas os primeiros socorros são essenciais para diminuir as complicações que podem ameaçar à visão. Os casos mais comuns de traumas e como devem ser os cuidados especiais até o momento do atendimento médico.

 

trauma ocular

O traumatismo ocular é uma importante causa de diminuição da acuidade visual e cegueira unilateral, sendo mais comum em adultos e jovens do sexo masculino. Grande parte deles ocorre dentro de casa (especialmente em crianças) e no ambiente de trabalho (em adultos e jovens).

 

Durante o lazer e a prática esportiva, podemos observar acidentes de gravidade variada, sendo que, no Brasil, a modalidade mais envolvida é o futebol.

 

É importante destacar que muitas lesões graves, com potencial para deixar sequelas permanentes na visão, podem, inicialmente, não apresentar dor ou diminuição de visão. Dessa forma, sempre que um traumatismo ocular ocorrer, a melhor maneira de se prevenir o comprometimento dos olhos é procurar atendimento oftalmológico para a realização de exame adequado e um pronto estabelecimento de tratamento específico.

 

Primeiros Socorros

 

Fragmentos - O primeiro passo é procurar acalmar a pessoa e estabilizar o olho atingido. Não se deve tentar remover fragmentos ou realizar qualquer tipo de tratamento, pois se corre o risco de se agravar o quadro. Essas medidas específicas devem ser realizadas por equipe médica treinada para o atendimento.

 

Produtos químicos – O mais importante em acidentes envolvendo contato com produtos químicos (de limpeza, tintas, combustível, etc.) é tentar minimizar o tempo de exposição do olho ao produto, através da lavagem com água, continuamente, por pelo menos 15 minutos. Caso a pessoa seja usuária de lentes de contato, as mesmas devem ser removidas imediatamente, para facilitar a lavagem e aumentar sua eficácia. Após a realização da lavagem, é necessário procurar o oftalmologista para avaliação das lesões e tratamento adequado.

 

Corpo estranho – Caso o trauma envolva a presença de corpo estranho na superfície ocular (poeira, areia, cílios, etc.), deve-se evitar esfregar os olhos. Caso o corpo estranho esteja móvel, é preciso lavar as mãos com água e sabão e mover a pálpebra superior sobre a pálpebra inferior para estimular o lacrimejamento e, assim, provocar o deslocamento do corpo estranho até sua saída. Se o corpo estranho estiver aderido na região das pálpebras, pode-se tentar removê-lo com auxílio de cotonete. Contudo, se o corpo estranho não se deslocar com o piscar, não se deve tentar removê-lo, o indicado é procurar atendimento de emergência com o oftalmologista para fazer a remoção segura.

 

Fale com um de nossos atendentes: atendimento online


« VOLTAR


Deixe seu comentário: